Entrevista com o Embaixador da Noruega no Brasil- Odd Magne Ruud- Dia Nacional

Entrevista exclusiva concedida à jornalista Fabiana Ceyhan sobre o Dia Nacional da Noruega e projetos verdes.

Qual o significado do feriado de 17 de maio na Noruega?

Na Noruega, o Dia da Constituição é importantíssimo. O dia 17 de maio foi estabelecido como Dia Nacional em 1814, quando a Constituição da Noruega foi assinada em Eidsvoll, declarando a Noruega como uma nação independente.

No entanto, a Noruega estava sob domínio sueco naquela época e para os suecos a celebração era uma provocação contra a Suécia e a Família Real. Após várias tentativas de comemorar a data, o Rei Carl Johan proibiu a celebração, o qual desencadeou um aumento nos esforços pela independência da Noruega. Consequentemente, uma multidão entusiasmada se reuniu para protestar na praça principal de Oslo (antiga Christiana), posteriormente ficando conhecida como a Batalha da Praça de 1829.

As autoridades suecas reagiram a essa reunião espontânea, mas suas ações só aumentaram a resistência. Henrik Wergeland, poeta norueguês, teve um papel fundamental nesse movimento de resistência e nos anos seguintes ajudou a transformar o dia em uma festa para as crianças, ao invés de um dia de orgulho patriótico. Depois que o Rei Carl Johan morreu em 1844, seu filho, Oscar I, assumiu o trono e o dia começou a ser comemorado livremente.

Como é celebrado pelos noruegueses( costumes e tradições)?

O dia é voltado para todos os cidadãos, especialmente as crianças. Em toda a Noruega, os desfiles infantis são o elemento central das celebrações, com bandas marciais nas escolas e uma abundância de bandeiras. Celebramos o passado olhando para o futuro!

O desfile mais longo ocorre na capital, em Oslo. Inclui cerca de 100 escolas e passa pelo Palácio Real, onde a Família Real cumprimenta a todos da varanda.

O que se consome mais nessa data é cachorro-quente e sorvete. Em média, cada norueguês consome 4 hotdogs durante este dia, e a venda de sorvetes tem um aumento de 10 vezes se comparado a um dia normal.

O 17 de maio oferece uma oportunidade para homens e mulheres usarem, com bastante orgulho, o “bunad”, traje tradicional da Noruega. Existem centenas de trajes diferentes, com cores e estilos indicando de onde vem a ancestralidade daquele que o utiliza.


Embaixador da Noruega no Brasil Odd Magne Ruud vestindo roupas típicas do País

Sobre projetos de transição verde na Noruega

As metas de Paris para reduzir as emissões de CO2 são nossa tarefa comum mais importante. Embora a Noruega seja um grande exportador de petróleo e gás, ao mesmo tempo levamos muito a sério a transição para uma economia verde e renovável. Como um dos principais produtores de petróleo, temos também uma grande responsabilidade por encontrar soluções mais sustentáveis e verdes na produção e em toda a cadeia de valor desse recurso.

Historicamente, extraímos muito petróleo e gás do Mar do Norte. Agora – a ideia é reverter a tecnologia e colocar o CO2 capturado da indústria terrestre e armazená-lo sob a plataforma continental por toda a eternidade. Esta é umas das tecnologias que precisamos explorar para alcançar os objetivos de Paris.

Até 2030, as emissões de gases de efeito estufa em Oslo serão reduzidas em 95% em relação a 2009. A cidade desenvolveu um Climate Budget dedicado, que apresenta e calcula os efeitos das medidas que ajudarão a cidade a atingir essa meta. Além disso, temos que mencionar a incineração de resíduos como uma grande fonte de emissões de CO2. Portanto, reduzir essas emissões exige que a cidade mude a forma como transporta pessoas e mercadorias. A planta de incineração de resíduos em Oslo agora faz parte de um projeto de captura e armazenamento de carbono em grande escala (o projeto Longship), no qual CO2 será capturado na planta, levado por um navio para as partes ocidentais da Noruega, e lá injetado e armazenado com segurança debaixo do Mar do Norte.

E o país é lider na venda de veículos elétricos, atualmente 65% das vendas são de carros elétricos.

Fontes de energia mais limpas e iniciativas centradas no meio ambiente estão ganhando prioridade em todos os setores.As expectativas do governo para as empresas são altas. Há incentivos do governo norueguês para que produtores de petróleo e gás operem com o menor nível de emissão de CO2 possível, por exemplo. As energias renováveis representam atualmente cerca de 4% do investimentos totais em energia de empresas norueguesas no Brasil, e a tendência é um aumento para os próximos anos, à medida que empresas como Equinor, Scatec Solar, Hydro, Statkraft e Aker Solutions estão cooperando para reduzir emissões e atingir metas climáticas.

Tecnologias como energia eólica offshore, hidrogênio, baterias, veículos elétricos, CCUS, etc., são de suma importância estratégica para a Noruega. O governo norueguês está fazendo um bom esforço para promovê-los, e a cooperação internacional é uma das ferramentas disponíveis. O Brasil é um parceiro estratégico.

O governo norueguês se comprometeu em conciliar a política climática e de desenvolvimento e priorizar as energias renováveis, a renovação do investimento na floresta tropical e os fundos para adaptação ao clima.

Sobre a Noruega ser um exemplo mundial em sustentabilidade e planos para a agenda 2030 que podem inclusive influenciar outros paises

O meio ambiente está no centro da sociedade norueguesa. Em nossa história temos acesso a vastos recursos biológicos e naturais. Isso nos permitiu desenvolver expertise na gestão sustentável dos recursos naturais e utilizá-los em benefício de nossa população e as gerações futuras, gerando, por exemplo, o Fundo Estatal de Pensões da Noruega, o maior do mundo.

Na Noruega, expectativas de investimentos sustentáveis estão em alta, e os governos também agem em cima disso. Iremos reduzir as emissões em 55% até 2030 em relação a 1990, e mais de 80% de nossas emissões domésticas estão sujeitas a um preço sobre o carbono, com expectativa de aumento gradativo no preço por tonelada até 2030.

À medida que o mundo sai de uma economia dependente de carbono devemos fazê-lo ouvindo a ciência e aos que se preocupam com seus meios de subsistência, justos e dentro da lei. Pode-se dizer que é fácil para a Noruega dizer isso enquanto explora petróleo. De fato, temos feito parte do problema e isso significa que devemos fazer parte das soluções.

A Noruega considera a Agenda 2030 com seus 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) como um roteiro global transformador para nossos esforços nacionais e internacionais destinados a erradicar pobreza extrema enquanto protege as fronteiras planetárias e promove a prosperidade, paz e justiça. É uma agenda universal, à qual todos os países e todas as partes interessadas relevantes podem e devem contribuir.

Relatórios da ONU e vários índices internacionais mostram que a Noruega ocupa uma posição elevada em termos de implementação global dos ODS.

Desde 2016 a Agenda 2030 tornou-se mais integrada ao planejamento de políticas norueguesas, mas ainda é necessário construir um plano mais abrangente para implementação. Atualmente, 69% da população norueguesa está familiarizada com a Agenda 2030. Oito em cada dez consumidores querem contribuir para o desenvolvimento sustentável através das escolhas que fazem. 73% das maiores empresas da Noruega dão prioridade aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável em suas estratégias de negócios, o que é três vezes maior do que em 2017.

A Noruega considera a tomada de decisão participativa, inclusiva e representativa como fundamental para o bom funcionamento da sociedade. A participação é vital para garantir a apropriação nacional necessária para um acompanhamento eficaz e transparente dos ODS.

O MUNDO DIPLOMÁTICO